O país dos 3 F(s)

Há algumas décadas atrás, logo após Portugal se libertar da ditadura fascista, corria então o ano de 1974, surgiu uma expressão popular que posicionava a identidade cultural portuguesa como o país dos 3F(s).

Fado, Futebol e Fátima

Esta expressão criou alguma polémica e ainda hoje é vista por alguns como uma ferramenta de instrumentalização do Estado Novo para manter o povo sereno, animado, longe e alheado das questões políticas. Esquecendo as análises políticas, parece-me apropriado e pertinente para quem quer conhecer a nossa cultura escrever um pouco sobre este tema.

Talvez pelo facto de parecer uma expressão redutora da nossa vasta cultura, não deixa de falar em três pilares importantes da divulgação de Portugal por todo o mundo. Analisemos à data de hoje, passados 45 anos sobre o fim da ditadura, o que representam estes temas na atualidade.

Comecemos pelo futebol. Penso que não restam dúvidas a ninguém que o jogador da atualidade mais conhecido do mundo é Cristiano Ronaldo. Mas não é o único, antes do CR7 o futebol português já produzia craques, citando apenas alguns, Eusébio, Futre e Figo. Somos um país que fabrica jogadores de altíssima qualidade, todos a jogarem nos melhores clubes e ligas milionárias de todo o mundo. Em 2016 Portugal consagrou-se campeão Europeu, e continua ainda a ser o titular deste cobiçado título. Pese embora este facto, a atual liga portuguesa de futebol é formada por clubes com orçamentos baixos e equipas constituídas maioritariamente por jogadores estrangeiros, pudera, os nossos estão todos lá fora!

Portugal vence a fase final do campeonato da Europa e torna-se Campeão Europeu.

Fátima! Que loucura. Portugal é um país maioritariamente cristão e Fátima é um local de culto religioso mundialmente apreciado e reconhecido. A Nossa Senhora de Fátima que teve a sua primeira aparição no dia 13 de Maio de 1917 aos três pastorinhos, continua a ser uma referência religiosa de peso, a quem os crentes rezam e fazem promessas em todos os cantos do mundo. É incrível a devoção que tantos fiéis de tantas nacionalidades manifestam sobre esta nossa santa. Fátima é lugar de peregrinação durante todo o ano. Em 2017, ao celebrar 100 anos e com a visita do Papa Francisco recebeu no seu santuário 9,4 milhões de pessoas! Meu Deus, quase tanto como o total da população portuguesa. Imaginem todas as cidades, vilas e aldeias de Portugal desertas e toda a sua população junta no santuário de Fátima a rezar o terço, incrível, não é?

A nossa Senhora de Fátima transportada durante uma celebração no Santuário.

O nosso Fado, ou destino, sina, o percurso traçado pela providência para cada individuo. Cada Fado conta uma história, centrado na temática sentimental fala sobre o amor, ódio, ciúme, dor, tristeza, sorte, saudade. Por muito tem passado este estilo musical que tão bem representa o nosso povo. A sua origem é incerta e tema de debate, existem várias teorias, contudo o Fado nunca se aquietou e sobreviveu até aos dias de hoje. Reconhecido em 2011 como património cultural imaterial da humanidade pela UNESCO, ganhou nova pujança e dimensão e é hoje um estilo de música que enche as melhores salas de espetáculo em todo o mundo. Artistas como a Amália, Marisa, Cristina Branco, Ana Moura e tantos outros, escritores e poetas como Ary dos Santos e Pedro Homem de Melo, elevaram o Fado a um nível nunca antes imaginável, sendo hoje também uma referência na World Music. Este fenómeno musical ultrapassou todas as barreiras geográficas, culturais e linguísticas e é hoje apreciado por milhões de pessoas em todo o mundo, unindo-as através da música, do sentimento e emoção. Lindo!

Assim se canta o Fado, com alma e sentimento.

Pois bem, se vem conhecer Portugal deve saber que para os portugueses estes são temas importantes, nos quais sentimos orgulho e gostamos de partilhar. Se quer sentir um pouco da nossa cultura genuína, nada melhor do que comprar um bilhete para ver um jogo do Sport Lisboa e Benfica ou do Futebol Club do Porto, seguido de um jantar de fado e terminar com um Pai Nosso e Ave Maria no santuário de Nossa Senhora de Fátima. Poderá aproveitar a oportunidade para pedir perdão pelas asneiras que disse no estádio, na gula que sentiu ao jantar e no desejo e luxuria que o invadiu ao ver e ouvir aquela(e) fadista linda(o) de olhos e xaile negros a cantar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *